PULICIDADE



O corpo do volante potiguar Gil, um dos 71 mortos no trágico acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, que aconteceu na madrugada da última terça-feira (29), a caminho de Medellín, na Colômbia, chegou a Nova Cruz por volta das 17h deste domingo. A cidade fica a 93 Km de Natal, conta com 40 mil habitantes e é a terra dos pais e de parte da família do ex-jogador. Sob sol forte, milhares de pessoas se reuniram no ginásio Giovanna de Azevedo Targino, para se despedir do jogador. José Gildeixon Clemente de Paiva tinha 29 anos e deixa mulher e duas filhas, de cinco e três anos.



A morte do volante é sentida por toda cidade. Moradores penduraram lenços pretos nas casas em sinal de luto, e muitos carregavam fotos do jogador. No corpo de Geraldo Madureira, irmão de Gil e ex-jogador, a camisa do Chapecoense é exibida com orgulho: "Eu estou para ver um homem igual a ele, não existe. Ele é um exemplo, só fica a saudade", conta. Geraldo se emociona ao falar dos pais, de como receberam a notícia. "A maior dor da minha mãe foi não ter falado com ele a última vez que ligou, não ter dado a benção ao meu irmão, ele está inconsolável", se emociona.

O corpo do volante, que atuou entre outros clubes por Mogi Mirim, Ponte Preta e Coritiba, chegou ao estado às 13h30 em um voo de carreira. Ao chegar em Nova Cruz, o corpo seguiu para a casa dos pais do volante, conhecidos na cidade como Dona Nina e Seu Geraldo. O cortejo percorreu ruas da cidade, com muitos carros, motos e acompanhantes a pé. Ao chegar ao ginásio, foi recebido com uma salva de palmas. Segundo a Polícia Militar, 10 mil pessoas estiveram presentes.  
Leia mais...


(Com informações do G1RN)

Sob aplausos, população dá adeus ao volante Gil em Nova Cruz, no RN

Prefeitura entrega certificados a concluintes de curso gratuito de Instrumentos de Sopro



A torcida da Chapecoense se despediu de seus ídolos neste sábado, sob os gritos de “É campeão”, seguidos por um doloroso silêncio. A Arena Condá não chegou a lotar na cerimônia em homenagem às vítimas do acidente aéreo de Medellín, mas todas as milhares de pessoas presentes se emocionaram, debaixo de um temporal, em Chapecó.

O velório coletivo contou com a presença de familiares das vítimas, personalidades do futebol, como o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o treinador da seleção brasileira Tite, e do presidente Michel Temer – que nada falou. Além das bênçãos às 50 vítimas veladas, houve muitos agradecimentos à Colômbia, especialmente à equipe do Atlético Nacional.




O primeiro avião Hércules da Força Aérea Brasileira pousou com os corpos pouco antes das 9h30, no aeroporto Serafin Enoss Bertaso, em Chapecó. O outro avião com os caixões chegou cerca de quinze minutos depois. O presidente Michel Temer, que não planejava vir à Arena Condá, mudou de idéia e acompanhou o cortejo que chegou à Arena Condá às 12h39. Por lá aguardavam a maioria dos familiares das vítimas.

Uma delas se destacou: dona Ilaídes Padilha, mãe do goleiro Danilo, agradeceu a cada um dos torcedores nas arquibancadas, que gritavam o nome de seu filho. O público, emocionado com o que via no telão, cantou “o campeão voltou” e “é campeão”, até que o primeiro caixão, de Thiaguinho, entrasse no estádio. A partir daí, o silêncio tomou conta.

A colocação dos 50 caixões foi acompanhada por muitas lágrimas dos familiares. Apesar da chuva cada vez mais forte, a torcida não arredou pé e acompanhou cada um dos discursos oficiais. O prefeito da cidade, Luciano Buligon, vestindo uma camisa do Atlético Nacional, fez agradecimentos especiais ao povo colombiano. Anunciado logo após o presidente Michel Temer – que não foi vaiado ou exultado – o embaixador da Colômbia, Alejandro Borda, foi efusivamente aplaudido.


Houve ainda orações, e discursos do apresentador Cid Moreira e do presidente da Fifa, Gianni Infantino. A cerimônia terminou com mensagens de jogadores, como Neymar, no telão e com uma volta dos familiares pelo gramado, com imagens dos heróis que se foram. Pela primeira vez, a torcida se agitou, ao ritmo do hino do clube, como se iniciasse, depois do luto, o renascimento da Chapecoense.

O locutor do estádio anunciou, como fazia a cada fim de semana, a “escalação” dos ídolos da Chapecoense. Danilo, Ananias, Bruno Rangel, o técnico Caio Júnior e o presidente Sandro Pallaoro foram os mais celebrados. Os jornalistas e outras vítimas do acidente aéreo também tiveram seus nomes anunciados e aplaudidos.

Logo após o fim do cerimonial, parou de chover e o sol voltou a iluminar as ruas de Chapecó.

Fonte: Veja

O dia em que até o céu chorou pela Chapecoense



Alto do Rodrigues - Seguindo a carreira de técnico de futebol, o ex-atacante e carnaubaense Barata, que passou pelo ABC (campo e futsal), Mérida, Braga, Fluminense e Clube Deportivo Tenerife (2ª divisão da Espanha), esteve acompanhando a primeira partida da decisão do Campeonato Norte-rio-grandense de Futsal, disputada entre
Alto do Rodrigues Futebol Clube (AFC) x ABC de Natal, na noite desta sexta-feira (2), no ginásio municipal Ivanildo Bezerra.

Perguntado pela nossa reportagem por quem estava torcendo no jogo, de pronto Barata respondeu: Alto do Rodrigues. Isso porque entre os jogadores do time, está o seu primo o pivô Eduardo Silva, o "Dudu". Perguntamos também sobre o seu atual clube e ele nos respondeu que estava em negociação com um time do interior do Rio Grande do Norte que vai disputar o Campeonato Potiguar de Futebol de Campo, no entanto, não quis revelar qual. Lá mesmo no ginásio, existia a especulação de que ele poderia está negociando ou com o Baraúnas ou com o Potiguar de Mossoró.

Ex-jogador do ABC veio prestigiar primeiro jogo da final do Campeonato Potiguar de Futsal



Alto do Rodrigues - Nada está decidido. Embora tenha perdido o primeiro jogo da decisão do Campeonato Norte-rio-grandense de Futsal para o ABC, jogando no ginásio Ivanildo Bezerra na noite desta sexta-feira (2), o Alto do Rodrigues Futebol Clube (AFC), mostrou que tem plenas condições de reverter o placar na segunda partida que será disputada na capital potiguar na próxima terça-feira.

O AFC abriu o placar com menos de dois minutos do início, através de Zizi, e ampliou a vantagem aos 8' com Iklebson que é o vice-artilheiro da competição. O ABC marcou o primeiro gol aos 10' e, pouco mais de três minutos depois (aos 13'20'), conseguiu empatar e ficar na frente do marcador aos 13'51" com Walber. Chileno diminuiu para o time da casa aos 18'20" com um golaço por cobertura, na saída do goleiro. Sabará marcou o seu, e Betinho fechou o placar na virada do alvinegro: 5 a 3.


Antes de iniciar a partida, os jogadores renderam homenagens aos atletas do Chapecoense, mortos em um acidente quando chegavam de avião na Colômbia para disputar a final da Copa Sul-Americana. 

Resumão

Tendo iniciado bem a partida, o AFC conseguiu abrir boa vantagem no placar, mas alguns erros individuais, o que é absolutamente normal em uma partida de futebol, fez com que a equipe fosse penalizada com a derrota. O ABC saiu de quadra com uma importantíssima vitória, consciente de que venceu porque soube aproveitar os erros de seu adversário e não porque apresentou um futebol superior ou tenha enfrentado uma equipe fraca. Sabe também que não pode bobear no jogo da próxima terça-feira, embora tenha a vantagem de jogar pelo empate em razão da vitória desta sexta-feira. 

Durante a partida, o time alto-rodriguense se afobou em alguns momentos, principalmente quando viu o ABC virar o placar. Daí em diante não conseguiu se encontrar no jogo. Vale lembar que nada está decidido, ainda falta a segunda partida. Agora é esfriar a cabeça, consciente de que na próxima terça-feira terá a missão de vencer, deixar tudo igual e levar o jogo para prorrogação. Será uma missão difícil, mas não impossível e o AFC tem time para isso. Por outro lado, o ABC terá um pouco mais de tranquilidade, já que nem mesmo uma eventual derrota no tempo normal poderá tirar sua chance de conquistar o título.

É importante destacar que o AFC recebe o apoio da gestão municipal do prefeito Abelardo Rodrigues,


Atualizado às 11h34

Nos detalhes - ABC aproveita os erros do AFC e vence o primeiro confronto da decisão do Potiguar de Futsal


Operação Mamãe Noel, que prendeu a prefeita Dárcy Vera, apura crimes de peculato, falsidade ideológica, uso de documento falso e corrupção ativa e passiva


A prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera (PSD), foi presa na manhã desta sexta-feira em sua casa, na cidade do interior paulista, na Operação Mamãe Noel, deflagrada pela Polícia Federal e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público de São Paulo (Gaeco). Segundo a PF, a nova operação apura crimes de peculato, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção ativa e passiva, entre outros.

A ação cumpre mandados de prisão preventiva, de busca e apreensão e bloqueio de bens em três cidades do Estado de São Paulo, e é a segunda fase da Operação Sevandija, iniciada em 1º de setembro, que apura o desvio de um total de 203 milhões de reais nos cofres públicos da cidade do interior paulista. O pedido de prisão de Dárcy foi feito pela Procuradoria Geral do Estado.

O nome “Mamãe Noel”, é uma referência às evidências de que a ex-advogada do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ribeirão Preto Maria Zuely Librandi repassou, entre 2013 e 2016, mais de 5 milhões de reais aos demais denunciados, em dinheiro e cheques, desviados da prefeitura de Ribeirão Preto.

O esquema de desvio no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais foi descoberto acidentalmente nas investigações da Operação Sevandija, que envolveram interceptações telefônicas, análise de milhares de documentos e investiga o pagamento de propina para a liberação de honorários advocatícios. Por conta do plano Collor, o Sindicato dos Servidores venceu uma ação de 800 milhões de reais contra o poder público.

( Veja com Estadão Conteúdo)

Polícia Federal prende prefeita de Ribeirão Preto

Aprovada PEC dos precatórios que pode viabilizar a quitação de dívidas por Estados e Municípios

CNM solicita ao presidente da Câmara a aprovação de propostas essenciais à gestão municipal


O Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria da República de Mossoró, e o Ministério Público Estadual, por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Baraúna/RN, com apoio do GARPP (Grupo de Atuação Regional de Defesa do Patrimônio Público) e do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), deflagraram, na manhã desta quinta-feira (1), a Operação Didática, voltada à apuração de atos de improbidade administrativa perpetrados no âmbito da Prefeitura de Baraúna.

Na seara federal foi instaurado Inquérito Civil voltado à apuração de irregularidades na gestão de recursos públicos federais repassados ao Município de Baraúna, no exercício 2014, referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e ao Programa de apoio à Manutenção da Educação Infantil (MDS). Já na esfera estadual, a investigação abrange a decretação de estado de emergência forjado por parte da Prefeitura de Baraúna, utilizado como fundamento para dar ares de regularidade a dispensas de licitação indevidas, bem como o pagamento indevido de serviços de licenciamento de uso e direito de software, os quais não restaram devidamente executados.

Os procedimentos investigatórios deram origem a Ações Civis de Improbidade Administrativa, uma em trâmite perante a 8ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio Grande do Norte e duas perante a Vara Única da Comarca de Baraúna/RN. Ambos os Juízos decretaram o afastamento provisório da Prefeita Antônia Luciana da Costa Oliveira, tendo o referido juízo estadual autorizado ainda à realização de busca e apreensão nas dependências da Prefeitura Municipal de Baraúna.

Foi decretada, por ambos os juízes (Federal e Estadual), a indisponibilidade de bens dos réus, no valor total de R$ 3.121.141,25, sendo R$ 2.756.093,15 bloqueados pelo juiz Federal e R$ 365.048,10 pelo juiz de Comarca de Baraúna.

A Justiça Federal determinou, ainda: a proibição de ingresso e aproximação das dependências da Prefeitura de Baraúna/RN, bem como de contato com integrantes da administração municipal, em relação aos réus pessoas físicas; a proibição de novos empenhos e pagamentos por parte do Município de Baraúna em favor das empresas demandadas.

Os mandados de afastamento da Prefeita e de busca e apreensão estão sendo cumpridos por Oficiais de Justiça – Federal e Estadual – e por membros do Ministério Público Estadual e servidores, com apoio da Polícia Militar.

Operação Didática: MP cumpre mandados de busca e apreensão e afastamento da prefeita de Baraúna